quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

CARMEN MIRANDA



  . Avenida São Sebastião 131 - Urca   

Ela ficou conhecida como A Pequena Notável. Maria do Carmo Miranda da Cunha, nossa Carmen Miranda ( 1909 - 1955), nasceu em 9 de fevereiro de 1909, há 110 anos,  na freguesia de Marco de Canavezes, província de Beira-Alta, Portugal.

Sempre sonhou em ser atriz e cantora. Por isso nas horas vagas, cantava e dançava para animar pequenas festas, depois começou a se apresentar em teatros e clubes até que estreou como cantora na Rádio Sociedade.

Seu grande sucesso veio com a marcha-canção "Pra Você Gostar de Mim" (1930), que ficou conhecida por "Tai", escrita especialmente para ela por Joubert de Carvalho, que foi recorde de vendas.

Em 1933, foi a primeira mulher a assinar um contrato com uma rádio, rádio Mayrink Veiga, onde ficou até 1936, quando se transferiu para a Tupi. Transformou-se  na principal estrela do Cassino da Urca no Rio de Janeiro e suas apresentações no cassino funcionaram como passaporte para o ingresso no mundo do cinema.

Em 1936, Carmen Miranda estreou no cinema na comédia musical “Alô, Alô Carnaval”, quando cantou acompanhada da irmã Aurora Miranda, na famosa cena em que as duas cantam "Cantoras do Rádio". 



 Em 1939, Carmen Miranda brilhou na comédia-musical “Banana da Terra”, quando apareceu caracterizada de Baiana. No musical, cantou a música “O Que é Que a Baiana Tem”, de Dorival Caymmi, que virou um clássico na voz da cantora. O personagem, ela incorporou até o fim de sua vida.

Carmen Miranda 6     Carmen Miranda  Carmen Miranda - 1941 - That Night in Rio - Costume design by Travis Banton


Em 1939, surgiu a chance de fazer carreira nos Estados Unidos. A estreia de Carmen aconteceu no espetáculo musical "Streets of Paris", em Boston. Seu sucesso de crítica e público foi enorme. Sua fama não parou de crescer e, no dia 5 de março de 1940, ela se apresentou ao presidente Franklin Roosevelt durante um banquete na Casa Branca.

Também em 1940 estreou nos Estados Unidos com o filme “Serenata Tropical”. No dia 24 de março de 1941, foi a primeira sul-americana a receber uma estrela na Calçada da fama em Hollywood.

Annex - Miranda, Carmen_NRFPT_06.jpgCarmen Miranda grauman's chinese theater.jpg
Carmen Miranda calçada da fama.jpg

Em meados dos anos 40, Carmen Miranda já era a artista mais bem paga dos Estados Unidos e a mulher que mais pagava imposto de renda no país.

Carmen Miranda fez um total de 14 filmes nos Estados Unidos e seis filmes no Brasil, entre eles: “Alô, Alô Carnaval” (1936) “Uma Noite no Rio” (1941), “Aconteceu em Havana” (1941), “Minha Secretária Brasileira” (1942) e “Serenata Boêmia” (1947)

Foram 317 gravações, praticamente todas de muito sucesso, como Tico-Tico no Fubá de Zequinha de Abreu, choro imortalizado na sua voz.


Ao longo de sua carreira, Carmen Miranda teve vários namorados, entre eles o atleta Mário Cunha, o industrial Carlos Alberto da Rocha Faria, o músico Aloysio de Oliveira. Casou-se em 1947 com o norte-americano David Sebastian, que trabalhava em uma produtora de cinema. O relacionamento dos dois era bastante difícil, já que David era alcoólatra. Muitos biógrafos e estudiosos apontam que este casamento representou o começo da decadência da saúde de Carmen, que começou a beber exageradamente. Ela também usava remédios, em especial barbitúricos, para dar conta de sua extenuante agenda de compromissos, que a levaram a um esgotamento.

Voltou ao Brasil em dezembro de 1954 e ficou reclusa no Copacabana Palace Hotel durante quatro meses para tratamento. Mas as suas obrigações com produtores americanos a obrigam a voltar para os estados Unidos. Durante um desses compromissos, teve um discreto desmaio. Poucos perceberam. Voltou para sua casa em Beverly Hills onde recebeu alguns amigos. A última pessoa que deixou a casa saiu às 3 e 30 da manhã. Foram as últimas pessoas a verem Carmen Miranda com vida. Foi encontrada morta logo depois.

Nunca se naturalizou brasileira. Morreu sendo portuguesa, aos 46 anos de idade.

Carmen Miranda foi nossa vizinha ilustre 
em vários bairros da cidade do Rio. 

Todas as edificações ainda existem. Na lista abaixo, o último endereço ainda é uma residência. Com exceção do endereço de Santa Teresa, hoje uma casa em ruínas, os demais locais viraram pontos comerciais.

. Travessa do Comércio, 13 – Centro
.  Rua da Candelária, 94 ( antigo 50)  - Centro
. Rua Joaquim Silva, 53, casa 4 - Centro
. Rua Silveira Martins, 20 (antigo.12) -  Catete.
   O prédio virou o Hotel Inglês.
. Rua André Cavalcanti, 229 – Santa Teresa 
. Avenida São Sebastião, 131 – Urca



Uma curiosidade:

A correspondência amorosa e o jeito "tatibitate"  esbanjando diminutivos, “inhos” - até arrojados pra época -  enviados ao namorado, o remador do Flamengo Mário Augusto Pereira da Cunha.


Em postais ela transcreve versos, trata o namorado de “maridinho”. Era apaixonadíssima, ciumenta também, até pede que Marinho se comporte no Rio.
Carmem Miranda rompeu com Marinho, em 1932, depois de 7 anos de relacionamento.



Em tempo: a intrigante assinatura Viola Dana, às vezes, apenas as iniciais, V. D. em alguns postais, era porque Carmen se assemelhava, à época, fisicamente com a atriz norte-americana Viola Dana. 

(fotos: reprodução da internet)


Nenhum comentário: