domingo, 16 de outubro de 2016

CHIQUINHA GONZAGA


 . Rua D. Pedro I, n°7   


Audaciosa, pioneira, talentosa foi 
a compositora, pianista e regente brasileira
Francisca Edwiges Neves Gonzaga,
ou simplesmente
Chiquinha Gonzaga,
que nasceu em 17 de outubro de 1847. 




Foi a primeira compositora popular do país e a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil.




Seu primeiro sucesso foi a composição Atraente, um animado choro composto quando tinha 29 anos. 



Mas foi o dobrado "Ó abre alas", criado durante ensaio do cordão Rosa de Ouro no Andaraí, bairro na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde residia - em frente à sede do cordão - que fez história: nascia ali,  despretensioso, um gênero novo , a marchinha de carnaval.

O comportamento atrevido de Chiquinha – que não apenas colocava títulos de cunho sensual em suas músicas ...AtraenteSedutor... mas circulava pelas rodas boêmias, fazendo música em qualquer ambiente, convivendo com chorões e notívagos de toda espécie, vestindo-se na contramão do que ditava a moda – acabou por deixá-la mal-afamada, principalmente entre 1877 e 1885, quando começou a ser mais admirada por causa de seu trabalho como maestrina no teatro de revista, onde se tornou  a profissional mais requisitada.

Chiquinha Gonzaga também, indiretamente , protagonizou outro pioneirismo em terras cariocas. Na noite de 26 de outubro de 1914, o maxixe (a dança excomungada, o ritmo amoral) entrou pela porta da frente no Palácio do Catete, residência do chefe da República, por meio das mãos de outra mulher revolucionária: Nair de Teffé, esposa do presidente Hermes da Fonseca. Numa recepção nos salões do palácio, à qual compareceram diplomatas e representantes da elite carioca, ela tocou, ao violão (instrumento ainda marginalizado na época), o Corta-jaca da maestrina.

Chiquinha Gonzaga morou ainda em outros locais do Centro do Rio. 
Rua do Riachuelo, 272
. 
Rua Formosa 
 atual General Caldwell
. Rua Moraes e Vale  - Lapa. 

Sua última residência foi o Edifício Gaetano Segreto (edifício à esquerda da foto) , na Rua Pedro I, em frente ao Teatro Carlos Gomes. 




Hoje,  mais de 500 arquivos contendo partituras em primeiras edições e manuscritos da compositora estão disponibilizados na internet , no site dInstituto Moreira Sales , instituição guardiã do acervo de Chiquinha GonzagaTambém , o piano alemão RONISCH (fabricado em 1902), que a ela pertenceu até 1935, ano de sua morte, foi restaurado e se encontra exposto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
O piano aparece na última foto de Chiquinha, tirada em 1932 na ocasião de seu aniversário. Ela faleceu em 28 de fevereiro de 1935, uma quinta-feira, três dias antes do Carnaval.


Três curiosidades:

1.  Forrobodó (burleta musicada por Chiquinha Gonzaga em 1912) foi remontado em 1965 especialmente para comemorar a inauguração da ‪TV GLOBO, como um pedido pessoal do dr. Roberto Marinho que, menino, assistiu à peça levado por seu pai, se encantou, e nunca a esqueceu. Forrobodó foi o primeiro musical apresentado no programa Musicalíssima na noite de 26 de abril de 1965. 

2. a data de nascimento de Chiquinha Gonzaga17 de outubro de 1847, tornou-se o Dia Nacional da Música Popular Brasileira.

3. Chiquinha Gonzaga foi homenageada no Projeto do VLT , na cidade do Rio de Janeiro





4 comentários:

Arlindo Lopes Corrêa disse...

Muito bom esse blog que fala sobre a gente ilustre de nossa Cidade. Parabéns. Arlindo Lopes Corrêa

Gilda Boruchovitch disse...

Obrigada, Arlindo.
Sua opinião é importante para nós.
A cada semana, faremos um novo "post", sempre de acordo com o tema do mês.
Em novembro, o tema será o Dia da Consciência Negra.

Aysha disse...

Nossa, muito legal esse blog. Achei superinteressante saber aonde residiam nossos ilustres personagens

Nossos Vizinhos ILustres disse...

Volte sempre ao blog!
A cada semana novos endereços de personalidades que viveram na nossa Cidade maravilhosa.